6 de janeiro de 2011

Das Presidenciais I

Geralmente concordo com o João Távora; este não é o caso.

A essência desta república, perpetuando o regime imposto há 100 anos, é o desprezo pelos Portugueses. No entanto, e o Senhor Silva não se cansa de o repetir, o regime republicano encontra-se plenamente consolidado ao fim de 100 anos de existência. Concordo; é o efeito previsível de recorrentes mentiras e propaganda republicana (esta que, ao contrário do tão apregoado conceito de ética republicana, existe de facto).

Não concordo com o apelo do João ao voto nulo por uma simples razão: a única coisa que esta república merece dos Portugueses é aquilo que ela sempre lhes reservou: o desprezo. Cada voto, seja ele branco, nulo ou parvo - não há outra alternativa - entrega mais alguma legitimidade a declarações como as do Senhor Silva.

Por outro lado, a abstenção é o sinal mais claro que os Portugueses podem dar de que não se revêem neste regime. É a abstenção a prova mais evidente de que este é um regime falhado. É a abstenção, afinal, quem tem ganho eleição atrás de eleição.

E é a abstenção quem, a 23 de Janeiro, vai levar o meu voto, certo, à partida, de que é ela quem leva a taça.

6 comentários:

  1. Mas é abstenção por não te encontrares no "país" ou vens cá não-votar de propósito?
    A propósito das tuas ideologias vais receber um e-mail meu daqui a nada...

    ResponderEliminar
  2. estou a ver que votaste na 3ª hipótese...

    ResponderEliminar
  3. Mas abstenção é perigoso ou não? Deixar o boletim em branco...

    Faz antes uma cara com um bigode, põe um quadrado à frente e faz lá uma cruz dentro :)

    ResponderEliminar
  4. Abstenção é dizer "não brinco mais" e não pôr lá os pés, donc não há sequer boletim...

    ResponderEliminar
  5. Ah. Fixe, escuso de ter trabalho ;) Se "aderir" à adesão.

    ResponderEliminar