28 de fevereiro de 2011

Dilema


(…) [Pause]

[Play] Os pés do tipo lá de cima escorregam e levam-no de nariz ao chão, dele fazendo o topo da pirâmide uma bela sandwich, os pés a espernear, por breves instantes, antes de se deixarem finalmente cair, inanimados. [Pause]

 [Play] As barbas deixam cair o ‘Chá’, que se desfaz em milhares de pequenos calhaus, bem ao jeito de uma palma de mão e, sem hesitar, recebem ordens divinas para os lançar contra o ‘Demo’. [Pause]

[Play] Os tipos do ‘Demo’ são apanhados de surpresa, deixam cair a sua bandeira e põe-se a correr, como podem, debaixo de uma forte chuvada de pedras. Correm quanto podem, mas cedo dão-se conta de que não mais fizeram do que correr num círculo, à volta da pirâmide, até que por fim dão de novo de caras com as barbas de quem fugiam. Desesperados e já sem forças, para eles se voltam, de joelhos, pedindo misericórdia. Estes não a recusam mas, como tudo, também as tréguas terão um preço. [Pause]

 [Stop]

[Rewind]

(Também aqui)

Sem comentários:

Enviar um comentário