17 de julho de 2011

Da Demagogia aplicada à Liberdade de Expressão


Caro Samuel, não percebo a estranheza em relação às orientações do Conselho Académico da UCP, que são perfeitamente legítimas, e que este post (exercício de pura demagogia) deturpa de forma desonesta e incendiária.

“Formas de vestuário dignas e convenientes, adequadas ao local de trabalho próprio de uma Universidade e de uma instituição da Igreja” não levanta quaisquer questões arbitrárias de “bem vestir”. “Batina e hábito de monge” não são, obviamente, formas de vestir adequadas a uma Universidade e instituição Católica, tanto quanto não são calções, chinelos, mini-saias e afins.

“Chamar a atenção dos que se apresentarem de maneira imprópria” nada tem a ver com um “incentivo à delação e à denúncia”. Chamar educadamente a atenção de uma jovem que decide ir a uma uma aula na UCP (por ser o que está aqui em questão), com um decote até ao umbigo, não é entregá-la à “polícia dos bons costumes”.

Isto para me restringir ao comunicado em si, já que as restantes comparações que se encontram no texto, a par das acusações de “insulto” e “grave ataque à liberdade de expressão individual”, são tão ridículas quanto absurdas.

No fundo (optar por formas de vestuário adequadas a cada situação) é uma questão de elementar respeito entre as pessoas, pelo que se as regras do bom senso não ditarem uma prática conforme, uma chamada de atenção torna-se perfeitamente apropriada.

Sem comentários:

Enviar um comentário