13 de julho de 2011

O Objecto do Direito - Abjecto Objecto

"Till at last the child's mind is these suggestions, and the sum of the suggestions is the child's mind. And not the child's mind only. The adult's mind too-all his life long. The mind that judges and desire and decides-made up of these suggestions. But all these suggestions are our suggestions... Suggestions from the State."



Passo a passo, sem qualquer noção de limites, vamos avançando para o abismo. Seres abjectos impõem suas vontades sobre os mais básicos fundamentos da auto-preservação e do bom senso, enquanto que a platéia aplaude de pé os chamados avanços civilizacionais de uma civilização asfixiada pelo vácuo da sua própria demagogia.

Não faltará muito para voltarmos a ser bombardeados com reivindicações pelo direito à adopção a casais homosexuais e de nada valerá o argumento de que a prioridade que está em causa na adopção é o direito da criança a ser adoptada, e nunca o direito de seja quem fôr a adoptar. De nada valerá porque a lei irá passar. Porque Portugal se transformou num país chik-moderno e está na vanguarda do relativismo auto-destruitivo. Porque nenhuma lei poderá ser considerada aberrante desde que haja alguém a sentir-se discriminado nas suas convicções, por mais aberrantes que estas sejam.

Nos EUA chega-nos a notícia do encerramento de várias instituições de adopção católicas, por incompatibilidade com leis de adopção por casais homosexuais. A práctica anterior, em que as agências católicas encaminhavam estes casais para outras agências de adopção, foi considerada incompatível com as “regras do jogo”. Aparentemente a única solução aceitável para estes vermes seria que a Igreja entrassse em conflicto com a sua própria doutrina, um verdadeiro atentado à liberdade religiosa.


O resultado imediato destas medidas, aquilo que menos interessa a estes trastes, é que duas mil crianças ficarão para já desamparadas. 2,000 órfãos que não valem um tremoço para estes repugnantes pulhas.

Mas desenganem-se se pensam que esta é uma medida isolada, um mero acidente de percurso. No Reino Unido medidas deste calibre já fazem danos há alguns anos. Recordamos que no Reino Unido todas as agências católicas de adopção foram forçadas a fechar portas desde a legalização da adopção por homossexuais.

Em 2009 uma enfermeira perdeu o emprego por se recusar a retirar um pequeno crucifixo que usava ao pescoço; outra foi suspensa por se ter oferecido para rezar por uma doente; agora, foi proibido a um casal cristão o direito a acolher crianças vulneráveis por não apoiar um estilo de vida homosexual, apesar dos seus largos anos de experiência.

Haverá limites?

Sem comentários:

Enviar um comentário