22 de fevereiro de 2012

Manifesto pela Dignidade da Mulher

Entendemos que a mulher não deve poder ficar em casa nem deve poder trabalhar num horário reduzido de maneira a que não possa aplicar-se na educação dos filhos. Consideramos, ainda, que a mulher não é essencial na educação dos filhos.

Subscrevem*:

(lista em actualização permanente)

5 comentários:

  1. Frase confusa, mas não quero assinar. (mas não tenho 100% certeza que percebi a frase).

    Please, podes confirmar se percebi bem que esses assinantes estão a defender o direito dos homossexuais adoptarem?

    ResponderEliminar
  2. Estao a defender o direito à livre expressao da tonteria, da desonestidade e da intolerancia.

    O Filipe explica aqui:
    http://rr.sapo.pt/informacao_detalhe.aspx?fid=34&did=51288

    ResponderEliminar
  3. O autor desta brincadeira de mau gosto tem, no mínimo, uma enorme falta de instrução em lógica.

    ResponderEliminar
  4. Queira desenvolver, caro Porfírio Silva. A minha lógica, amadora, bem sei, não me permite compreender como poderá discordar das declarações originais bem como do seu contrário, como parece estar a sugerir.

    ResponderEliminar