14 de março de 2012

Naufrágios II

Nesta segunda edição da série Náufragos: o que raio vieste cá tu fazer? irei prestar um serviço público a um determinado grupo de risco que, de acordo com um estudo norte-americano, se encontra em franco crescimento: falo, obviamente, do grupo de indivíduos que perderam sujeitos coloniais.


A primeira sugestão, e também a mais óbvia, é o ponto de partida mais elementar para qualquer busca de um objecto perdido: procure atrás do sofá.

Se acaso não tiver encontrado os sujeitos coloniais atrás do sofá, é bastante provável que os encontre imediatamente antes dos predicados coloniais.

Nada? E que tal pôr um anúnico nos pacotes de leite da maior cidade do estado da Renânia do Norte Vestfália?

Em desespero, poderá ainda procurar aqui, nesta obra prima de 1994 de Sid Meier, disponível para download - provavelmente ilegal - aqui.

E se nenhuma destas sugestões resolveu o seu problema, resta-lhe ainda a derradeira opção de encontrar sujeitos coloniais na fotografia que abaixo segue. Boa sorte!

(clique na imagem para a aumentar, facilitando a procura dos sujeitos coloniais)

Estive quase para desenvolver o tema dos sujeitos coloniais à luz do conceito pan-óptico foucaultiano abordado em Surveiller et Punir (1975), leitura que suspendi recentemente. Cheguei até a esboçar um post neste sentido, mas abandonei-o quando percebi que era um assunto demasiado complexo para o tempo que eu tenho disponível e a seriedade a que esta série me obriga. Deixo no entanto aqui a devida referência com um propósito claro: no caso de alguém se fazer ao mar à procura deste assunto e tiver o descaramento de vir dar ao Árvores Despidas através de um motor de pesquisa identificável pelo Sitemeter, retomarei tanto o livro como o post guardado em rascunho.

2 comentários:

  1. Hoje vi um sinal que dizia "Sujeito a Reboque". Não tive tempo de parar para ver se o sujeito a ser rebocado era colonial ou não... lamento não poder ajudar.

    ResponderEliminar
  2. Mantém-te atento, pode ser que haja recompensa para quem os encontre!

    ResponderEliminar