10 de julho de 2012

14 Pontos, Rumo à Conquista do Europeu


1. O Miguel Relvas é um tumor no Governo e, por isso, um espinho para Portugal.

2. O Miguel Relvas é um influente maçon. O Primeiro Ministro, por mais que queira, não tem o poder de removê-lo do seu cargo.

3. O Primeiro Ministro é Primeiro Ministro porque aceitou entrar no carrossel dos favores e do tráfico de influências.

4. Um Chefe de Estado deveria ser o garante da democracria, especialmente quando os outros poderes estão sob o jugo de obediências paralelas e interesses incompatíveis com o exercício das suas funções.

5. Um Chefe de Estado deveria servir também para extrair as ervas daninhas que conspurcam e corrompem o poder.

6. Mas o Chefe de Estado é Chefe de Estado porque aceitou entrar no carrossel dos favores e do tráfico de influências.

7. O Chefe de Estado, por mais que o queira, não tem o poder de remover Miguel Relvas do seu cargo.

8. Os Portugueses querem Miguel Relvas removido do seu cargo.

9. Nunca tantos Portugueses quiseram tanto a mesma coisa, desde que quiseram que Portugal eliminásse a Espanha do Europeu de futebol.

10. Mas Portugal não eliminou a Espanha do Europeu de futebol. E Miguel Relvas não será removido do seu cargo.

11. O Rei, para ser Chefe de Estado, não precisa de entrar no carrossel dos favores e do tráfico de influências. Um Rei será o Chefe de Estado por direito natural.

12. O Rei teria o poder de remover Miguel Relvas do seu cargo, cumprindo assim a vontade dos Portugueses.

13. O Rei tem uma posição privilegiada para cumprir a vontade dos Portugueses, e é por isso o mais forte garante da democracia e o mais fiel protector da res publica.

14. Com um Rei, Portugal poderia perfeitamente ter conquistado o Europeu de futebol.

1 comentário:

  1. Uma lógica cristalina! Tão cristalina, que vou imprimir e guardar na cristaleira.
    Bravo!

    ResponderEliminar