10 de agosto de 2012

Portugal a Duas Vozes

Que falta fazem em Portugal os homens de carácter, é o que penso ao ler o comunicado da posição assumida oficialmente pela diplomacia Portuguesa:

2012-08-07 às 18:02

COMUNICADO SOBRE A SÍRIA

A recente deserção do Primeiro Ministro da Síria, na sequência do anterior abandono de responsáveis políticos e militares sírios, vem demonstrar, inequivocamente, que o futuro político do regime sírio está traçado.
Assad, ao perseverar na violação grave dos mais elementares deveres de um Estado, ao recorrer ao uso massivo de força militar contra o seu próprio povo e ao conduzir o seu país a uma guerra civil, está cada vez mais isolado internacional e internamente.
A comunidade internacional, designadamente o Conselho de Segurança das Nações Unidas, não pode continuar a assistir passivamente ao sacrifício diário de centenas de vidas inocentes. Deve agir unida e a uma só voz, respondendo ao apelo da recente resolução da Assembleia-Geral das Nações Unidas, aprovada por esmagadora maioria, de modo a que a liderança síria entenda que só tem uma saída: a cessação das hostilidades, a saída do Presidente Assad e o início de uma transição política.
Cada dia que passa tem custos intoleráveis em vidas humanas e tornará mais difícil a estabilização da Síria. O Governo Português reitera o empenho em trabalhar com os seus parceiros no Conselho de Segurança, tendo em vista a restauração da paz na Síria e a estabilidade do Médio-Oriente. Nesse sentido, apela uma vez mais à colaboração daqueles que têm sido reticentes a uma ação efetiva das Nações Unidas.

Sem comentários:

Enviar um comentário